Suzana Herculano-Houzel

Coluna_2023_09_07

Tensão pré-menstrual pode ser coisa de mulher, mas é um problema que acaba afetando a todos – porque sempre sobra para quem está por perto, homem ou mulher, menino ou menina. Nem todas as mulheres ficam com o humor irritável no período pré-menstrual – ainda bem! – a ponto de se caracterizar um distúrbio que precise de ajuda médica. A princípio, contudo, todas as mulheres estão sujeitas a essa variação do humor, mesmo que em pequeno grau, por uma razão simples: ela resulta dos efeitos sobre o cérebro da variação do hormônio progesterona que leva à menstruação.

A progesterona se acumula no sangue a cada ciclo menstrual a partir da ovulação, produzida pelo corpo lúteo que acompanha o óvulo. Nos dias que precedem a menstruação, é esse hormônio que faz o revestimento interno do útero se espessar, em preparação para a implantação de um embrião.

Suas funções, no entanto, não acabam aí. Chegando ao cérebro, a progesterona age como um poderoso ansiolítico natural para as mulheres: ela aumenta a capacidade do cérebro de regular a ansiedade e a resposta ao estresse de modo geral. No período pré-menstrual, quando o corpo lúteo degenera e o nível de progesterona no sangue cai drasticamente, esse efeito ansiolítico natural é perdido, e o cérebro fica mais susceptível ao estresse, à ansiedade e à depressão.

Nem todas as mulheres são afetadas do mesmo jeito. A ausência mensal do hormônio ansiolítico natural ao corpo é mais drástica em algumas mulheres que possuem, provavelmente por razões genéticas, uma quantidade menor dos receptores no cérebro que respondem à progesterona. Para elas, qualquer queda do hormônio leva a perda significativa do efeito ansiolítico natural e, como resultado, essas mulheres ficam especialmente irritáveis no período pré-menstrual, capazes de reagir à menor ameaça com uma intensa resposta de estresse, de responder agressivamente até a gestos e comentários inócuos.

A irritação de fundo hormonal, no entanto, não é uma “licença para matar”. Mesmo que a perda temporária da progesterona ansiolítica explique a agressividade, ela não justifica qualquer tipo de comportamento grosseiro. A razão é simples: todos nós somos capazes de usar os serviços do córtex pré-frontal para dominar nossos impulsos. O primeiro passo para dominá-los é tomar consciência deles. Os hormônios têm voz, sim – mas o cérebro fala mais alto.

Originalmente publicado na Folha de São Paulo em agosto de 2006.

Mais posts

Os segredos do pensamento positivo

Sol para o cérebro com jet-lag

Felicidade fora de hora

Prazer para aprender

en_USEnglish