Suzana Herculano-Houzel

Meu Querido Diário: Junho de 2024

Diário de um neurocientista

14 de junho de 2024

Eu já era americana, pois nasci no Brasil, na América do Sul. Mas agora também sou cidadã americana, depois de oito anos trabalhando neste país, dos quais os últimos cinco como residente permanente. Eu não esperava que fosse ser emocionante e não esperava que nada mudasse após a cerimônia... mas mudou.

Primeiro: meu green card foi confiscado na cerimônia (como o de todos os outros), então... estou presa no país até conseguir um passaporte americano, o que exigirá que eu voe para Minneapolis em três dias, apenas dois dias antes de precisar voar para a Europa a trabalho, e torcer pelo melhor. Seria de se esperar que, tendo TODA A HISTÓRIA de todo mundo documentada, juntamente com TODOS os documentos em mãos E uma foto, eles dariam um passaporte americano já na cerimônia de naturalização e poupariam os novos cidadãos do incômodo, mas... isso seria simples demais 🙄

Segundo: sair do elevador e entrar nessa fila organizada de pessoas extremamente diversas, vindas de nada menos que 27 países, todas unidas pela mesma garra e comprometimento que só os imigrantes sabem que compartilham, foi uma visão bastante poderosa. Eu não tinha ideia do tamanho da cerimônia, e éramos 60 pessoas, muitas delas levando a família junto. Sessenta pessoas sem nenhuma relação, mas todas entendiam algo importante umas das outras. Melhor do que isso, só os sorrisos que compartilhamos quando passei por eles e seus parentes, tirando fotos, ao sair do prédio. Mas estou me adiantando.

Terceiro: o funcionário do Departamento de Estado que nos representou foi MUITO simpático e prestativo. Infelizmente, não é possível contar com pessoas que sejam calorosas e acolhedoras em uma sala cheia de imigrantes neste país. Foram 90 minutos verificando os documentos, sentando as pessoas e nos informando sobre como a cerimônia prosseguiria assim que o juiz entrasse na sala de audiências (pois era uma sala de audiências de verdade, com toda a pompa e circunstância, inclusive o Hear Ye Hear Ye e as batidas de martelo pelo oficial de justiça, ou seja lá como ele é chamado). Passou voando: Eu estava observando as pessoas, imaginando de onde elas vinham, e também verificando na Wikipedia as palavras do juramento de fidelidade. Algum cara colocou sorrateiramente "sob Deus" depois de "uma nação, indivisível" setenta anos atrás, e isso pegou... mas tudo bem, já que as palavras são convenções humanas, eu declarei que, já que o deus não havia sido especificado, meu Deus era o No God de Fernando Pessoa ("Não ter Deus é um Deus também", ele escreveu, e só precisei ler uma vez aos 16 anos para nunca mais esquecer essa frase). Problema resolvido.

Quarto: tivemos um JUIZ NEGRO presidindo o tribunal no estado do Tennessee!!!! Perfeição. Seu bisavô foi escravizado e libertado, seu avô se esforçou para dar a toda a família uma educação e uma vida boa. Ele conhecia a coragem e as dificuldades e podia se identificar com os 60 de nós. Então, eu me tornei uma fã e pedi a ele uma foto para recordação. Foi uma honra apertar sua mão.

E, finalmente: Eu me sinto... estranhamente fortalecida. Este é o MEU país agora, tanto quanto o de todos os outros cidadãos. Já me registrei para votar.

E observei com muita diversão a parte do cartão de registro de eleitor que exigia que a pessoa declarasse se era um criminoso condenado. Eu não sou. Mas tenho um concidadão que acabou de ser condenado por 34 acusações e agora não pode votar em... si mesmo - porque, imagine só, ele PODE concorrer à presidência como um criminoso condenado, inclusive se estiver preso.

Cabe a nós, cidadãos, mudar isso. E eu tenho toda a intenção de fazer parte desse movimento.

18/19 de junho de 2024: Minneapolis, ida e volta

Ok, com TONELADAS de coisas para fazer no trabalho e uma viagem de duas semanas para preparar, tive que colocar tudo em espera para ir ao único lugar onde eu poderia marcar uma consulta para obter um passaporte americano emitido para mim a tempo, e de preferência no local, para viajar para o exterior. É em Minneapolis.

Normalmente, viajo pela United, portanto, tinha um voo reserva reservado para o caso de a Delta cancelar o voo, como a Delta costuma fazer com frequência, mas tudo deu certo e o voo da Delta era direto. "Inteligência é flexibilidade" é o meu lema e, embora fosse Delta, o voo direto tinha menos chance de me deixar em Minneapolis sem tempo de sobra do que dois voos para chegar lá.

O avião pousou, estacionou e... NINGUÉM se levantou. O quê? Em um voo da United, todos já teriam se levantado, permanecendo no lugar, guardando suas posições para sair do avião. Todos na parte de trás do avião estavam apenas... relaxando em seus assentos, esperando que sua fileira subisse. Verifiquei se havia alguém organizando o desembarque, mas não. A Delta coloca algo na água e no refrigerante que serve? Nos copos, talvez? Comentei com o comissário de bordo na saída: "Cara, eu costumo voar pela United, os passageiros da Delta são TÃO legais e comportados!". Ele riu e concordou.

20 de junho de 2024

Segui para a FENS em Viena, com uma parada em Berlim no caminho e depois umas férias rápidas em Budapeste e Praga com o Sr. Medved 🤗 Mudei todos os meus remédios e suplementos para esse organizador bacana que minha filha me deu de presente.

Planos para o voo: preparar minha palestra sobre cães, dinossauros e diversidade para a FENS, trabalhar mais um pouco no meu livro de Neuroanatomia funcional que começarei a usar no outono, assistir aos vestidos bonitos da terceira temporada de Bridgerton (enquanto torço pelo naturalista nerd e esquisito em vez do Colin burro e bonitinho), terminar meu novo xale/jaqueta de crochê para poder usá-lo na Europa! Dormir um pouco também seria bom... Estou com a doxilamina pronta (esse é o anti-histamínico do NyQuil, MUITO melhor que o Benadryl para induzir a sonolência!), o colar cervical enrolado e a máscara para os olhos na bolsa... vamos ver. Chegamos a Berlim às 7h da manhã e, é claro, o check-in no hotel começa às 15h, portanto, espero dormir um pouco antes de passar 7 horas passeando pelas ruas de Berlim 😉

Planos para o voo: preparar minha palestra sobre cães, dinossauros e diversidade para a FENS, trabalhar um pouco mais em meu livro de neuroanatomia funcional que começarei a usar no outono, assistir aos vestidos bonitos da terceira temporada de Bridgerton (enquanto torço pelo naturalista esquisito e nerd em vez do idiota bonitinho Colin), terminar meu novo xale/jaqueta de crochê para poder usá-lo na Europa! 🤗 Dormir um pouco também seria bom... Estou com a doxilamina pronta (é o anti-histamínico do NyQuil, MUITO melhor do que o Benadryl para induzir a sonolência!), o colar cervical enrolado e a máscara para os olhos na bolsa... vamos ver. Chegamos a Berlim às 7h da manhã e, é claro, o check-in no hotel começa às 15h, então espero dormir um pouco antes de passar 7 horas fazendo um tour forçado pelas ruas de Berlim 😉

Mais posts

en_USEnglish