Suzana Herculano-Houzel

Se ao menos mais cientistas fossem como Harry Jerison

Eu não era ninguém. Eu era essa mulher brasileira que treinou com ninguém para ser uma neuroanatomista quantitativa, que fez essa coisa ultrajante de transformar cérebros em sopa, e que tinha saído do campo esquerdo da contagem de neurônios com sua sopa cerebral para afirmar que cérebros maiores não eram necessariamente feitos de mais neurônios; que cérebros maiores [...]

en_USEnglish