Suzana Herculano-Houzel

Dormindo nas nuvens

Aqui estou eu mais uma vez em um avião rumo aos EUA, para fazer meu trabalho sobre quantos neurônios são necessários para construir um cérebro de macaco. Um macaco velho quando se trata de viagens longas, depois de sete anos morando no exterior, aproveitei a facilidade de comprar passagens on-line para garantir o lugar [...]

As armadilhas da comida a quilo

Conheço um francês que, quando chegou ao Brasil há alguns anos, torceu o nariz para os hábitos alimentares dos frequentadores de restaurantes self-service. Misturar arroz, batata, macarrão e farofa no mesmo prato só podia ser coisa de bárbaros sem educação gastronômica: na França, afinal, o principal [...]

Mãe adotiva também funciona!

Na semana passada, escrevi sobre as marcas que a institucionalização de bebês deixa em seus cérebros anos mais tarde, mesmo quando são adotados na infância: desenvolvimento mais lento, atingindo um volume cerebral 10% menor do que o de crianças da mesma idade que sempre foram criadas por suas próprias famílias. Por um lado, esse e outros [...]

O barato da música

Há sites para tudo na Internet, e outro dia descobri um que vendia música que supostamente induzia "estados cerebrais" semelhantes aos produzidos por drogas. Por alguns dólares, o site oferecia a experiência de uma viagem lisérgica, de cocaína ou canabinoide produzida por seu cérebro em resposta a uma música especificamente criada [...]

A realidade do estresse psicossomático

Como é irritante ouvir de outras pessoas que um problema que você sente na pele é "coisa da sua cabeça". É bom que a ciência tenha nos libertado das crenças de outras pessoas, incluindo esta: problemas de saúde que são "apenas psicossomáticos". Bem, eles são tão reais que até mesmo os ratos sofrem os efeitos do estresse. Que tipo de [...]

Observações de um neurocientista autista no Twitter

Quando uma deficiência é um superpoder Notícia bombástica para começar o ano novo: já faz quatro anos que descobri que sou autista. Por favor, poupe-me dos comentários "simpáticos" ou "lisonjeiros" do tipo "nossa, você não parece" ou "mas você parece tão normal". Funcionar no mundo dos normais, ou "neurotípicos", exige muito [...]

Agir como outro requer auto-supressão

Escrevi aqui recentemente que, em um estado criativo, o cérebro deixa de se autopolitizar e se deixa levar pela própria bagagem acumulada ao longo da vida, formando e descobrindo livremente novas associações entre os elementos, incluindo memórias e emoções, em seu repertório. Os produtos de nossa criatividade são, portanto, altamente pessoais - isso é garantido [...]

Sim, eu tenho necessidades especiais!

Gosto de brincar que adultos autistas como eu precisam da supervisão de um adulto, mas é ótimo quando nos lembramos de levar a brincadeira a sério. Um problema específico do autismo é que parte da constelação de características é a falta de autoconsciência sobre o próprio estado emocional: os outros percebem antes...

Quando jogar perde a graça

Jonathan Schaeffer, especialista em jogos eletrônicos da Universidade de Alberta, no Canadá, acaba de provar, após 18 anos de cálculos matemáticos, que o jogo de damas está fadado ao empate. De qualquer um dos 19 movimentos iniciais possíveis, ninguém vence se nenhum dos oponentes cometer um erro: vencer no jogo de damas é [...]

Não, todo mundo NÃO é um pouquinho autista

Você é "normal"? Provavelmente sim, e por um motivo muito simples: matematicamente, cerca de 90% da população é "normal" para cada característica que pode ser quantificada. Ser "normal" não implica em nada de bom ou ruim; o termo simplesmente denota que a distribuição dessa característica na população é em forma de sino, com 90% concentrados perto da média, [...]

en_USEnglish